Pessimismo com o Brasil aumenta também no exterior

'É um governo menos comprometido com inflação e metas fiscais, e com menor crescimento', diz economista 

Luiz Guilherme Gerbelli,

18 de agosto de 2013 | 22h39

A falta de confiança com a economia brasileira também aumentou no ambiente externo e ficou evidente no comportamento do chamado risco país do Brasil. O credit default swap (CDS) do Brasil – indicador que mede o quanto os investidores pagam por um seguro contra calote de papéis públicos do País – se descolou da média dos índices de Colômbia, Peru, Chile e México. Na quinta-feira, o índice do Brasil ficou 70 pontos acima da média dos quatro países, mostra compilação da Tendências Consultoria.

O início do descolamento começou no segundo semestre de 2011, mas foi no fim de 2012 que a pontuação brasileira começou a superar a da América Latina em maior escala. "Foi um conjunto de fatores que levou a esse aumento de desconfiança do investidor internacional com o Brasil", diz Rodolfo Oliveira, economista da Tendências. "É um governo menos comprometido com inflação e metas fiscais, e com menor crescimento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.