Pessimismo do mercado continua; bolsa cai e dólar sobe

O mercado financeiro começou a segunda-feira em clima de pessimismo - com a decisão do banco de investimentos norte-americano JP Morgan de rebaixar a recomendação dos títulos da dívida dos emergentes e da agência de classificação de risco dos EUA Standard & Poor´s de descartar melhorar a classificação do Brasil neste ano. No decorrer do dia o pessimismo diminuiu e os investidores encerraram os negócios um pouco mais calmos.A bolsa paulista fechou o pregão em ligeira queda de 0,3% - chegou a cair 2,36% - com volume negociado de R$ 1,175 bilhão, em 21.786 pontos. O dólar comercial fechou com alta de 0,41%, a R$ 2,94 - na máxima atingiu R$ 2,96. No mercado de títulos da dívida externa, às 19h o C-Bond desvaloriza 0,7%, para US$ 0,97. O risco Brasil subia 25 pontos, para 527 pontos - o mais alto desde 28 de novembro de 2003. No mercado de juros, os DIs de prazo mais curto encerraram o dia em queda. Mas a partir do contrato janeiro/2005, as taxas subiram. O DI de janeiro/2005 fechou em 15,81%, contra 15,74% de sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.