Pessimismo no vencimento de cambiais

Hoje, conforme esperado, o maior vencimento de contratos cambiais do ano - totalizando US$ 3,6 bilhões - deu o tom dos negócios. Além dos leilões dos últimos dias, o Banco Central (BC) voltou a tentar rolar parte dos papéis, mas teve pouco sucesso, atingindo a marca de 61%. A ata da última reunião extraordinária do Comitê de Política Monetária (Copom), não surpreendeu. O dia foi de pessimismo, com alta nos juros e no dólar, apesar de todas as medidas do BC. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou no nível mais baixo desde 29 de janeiro de 1999.O vencimento de hoje pressionou os mercados, e o governo acabou rolando uma parte apenas dos papéis, mas a taxas muito altas e para o curtíssimo prazo. Ou seja, conforme tem acontecido ao longo do ano, os vencimentos vão se acumulando para o final de 2002, e a tensão deve se manter. Já no dia 23 vence mais um lote de US$ 1,1 bilhão e no dia 1o de novembro, lotes rolados dos compromissos de hoje.Foi divulgada a ata da última reunião extraordinária do Copom, realizada na última segunda-feira, quando foi elevada a Selic, a taxa básica referencial de juros da economia, de 18% para 21% ao ano. O documento mostra que a decisão foi um ajuste da taxa à realidade persistente de alta do dólar, e da sua conseqüente pressão sobre a inflação, que já se faz sentir. A dúvida no mercado agora é se haverá novas altas, especialmente na próxima reunião mensal do Comitê, nos dias 22 e 23.As taxas de juros futuras, que por dois dias seguidos haviam atingido o nível máximo de variação permitido pela Bolsa Mercantil e de Futuros (BM&F), parecem estar em um nível mais estável hoje. Ainda assim, o dia foi muito pessimista, e até o dólar voltou a subir. MercadosO dólar comercial foi vendido a R$ 3,9200 nos últimos negócios do dia, em alta de 1,82% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,8400 e R$ 3,9250. Com o resultado de hoje, o dólar acumula uma alta de 69,26% no ano e 21,89% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 25,050% ao ano, frente a 24,690% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 28,100% ao ano, frente a 29,397% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 1,60% em 8370 pontos, o nível mais baixo desde 29 de janeiro de 1999) e volume de negócios de R$705 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 38,35% em 2002 e 14,86% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, sete apresentaram altas. O principal destaque foram os papéis do Banespa PN (preferenciais, sem direito a voto), com valorização de 49,33 A incrível alta deve-se a excelentes resultados e ao pagamento de R$ 2,1 bilhão de reais em dívidas com a Receita Federal.Mercados internacionais Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 2,66% (a 8036,0 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - caiu 3,90% (a 1232,42 pontos). O euro fechou a US$ 0,9816; uma alta de 0,19%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em alta de 1,52% (438,02 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.