Peter Drucker morre aos 95 anos

Uma simples declaração de Peter Drucker podia mudar o modo como alguns dos líderes corporativos mais poderosos dos Estados Unidos administravam seus negócios. Reverenciado como o pai da administração moderna, Drucker explicava seus princípios - intensificar a inovação, o empreendedorismo e estratégias para o mundo em movimento - em linguagem simples, que repercutia nos gerentes mais simples, disse o presidente da Intel Corp., Andy Grove. "Conseqüentemente, simples declarações dele influenciaram inúmeras ações cotidianas", disse Grove. "Elas influenciaram as minhas durante décadas." Nascido em Viena, Drucker morreu na sexta-feira aos 95 anos de causas naturais em sua casa de Los Angeles, disse Bryan Schneider, porta-voz da Claremont Graduate University, onde Drucker lecionava. Festejado pela revista Business Week como "o mais tenaz pensador administrativo de nossa época", suas técnicas foram usadas por executivos em algumas das maiores empresas da América corporativa, incluindo Intel e Sears, Roebuck & Co. Drucker foi considerado visionário por seu reconhecimento de que empregados dedicados são fundamentais para o sucesso de qualquer corporação, e que marketing e inovação deveriam vir antes das preocupações com as finanças. "Ele é pura e simplesmente o mais importante desenvolvedor da administração eficiente e da política pública eficiente no século 20", disse Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos EUA. "Nos mais de 30 anos que o estudei, falei com ele e aprendi com ele, foi inestimável e insubstituível." Drucker foi educado em Viena e na Inglaterra. Fez doutorado em direito internacional enquanto trabalhava como repórter em Frankfurt, na Alemanha. Ele continuou na Alemanha até 1933, quando um de seus ensaios foi proibido pelo regime nazista. Depois de trabalhar como economista para um banco em Londres, ele se mudou para os Estados Unidos em 1937.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.