Petrobras adia entrega de propostas para plataformas

A Petrobras adiou por duas semanas a entrega das propostas dos concorrentes para construção e integração do casco e planta de processo e utilidades das plataformas P-51 e P-52, que estava prevista para o dia 28 de abril. A informação foi divulgada hoje à noite, em nota oficial da assessoria de imprensa da estatal. O módulo é o que recebe a maior parte dos investimentos totais, orçados em US$ 1 bilhão.Segundo a nota, o adiamento atende à solicitação dos concorrentes para permitir que eles façam um "realinhamento de suas propostas comerciais às novas regras de financiamento", anunciadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no final da semana passada.As plataformas deverão ser estacionadas na bacia de Campos, no norte fluminense, para ampliar a produção de petróleo e o processo de licitação se arrasta desde meados do ano passado. No início do ano, o novo presidente da estatal, José Eduardo Dutra, alterou os prazos iniciais para viabilizar maior participação de empresas nacionais. Para isso, o governo acionou o BNDES, que anunciou disposição de financiar a construção dessas plataformas, com até US$ 1,2 bilhão em empréstimos.Quatro empresas apresentaram propostas para a construção do módulo de compressão de gás das plataformas P-51 e P-52. São elas a Dresser-Rand Company, Man Turbomachinen AG GHH Borsig, GE-Nuovo Pignone SPA-Firenze e Siemens AG Power Generation Industrial Applications. Pelo menos duas delas, a Dresser e Nuovo Pignone também já haviam apresentado propostas para a construção do módulo de geração de energia, entregues no dia 7. Além das duas, também entregou proposta para a construção desse módulo, a Rolls Royce Energy Systems Inc. A entrega havia sido adiada do último dia 14 para hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.