Petrobras: ainda é possível negociar para evitar greve

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou hoje que a estatal ainda tem expectativa de negociar com a Federação Única dos Petroleiros (FUP), e assim evitar a greve prevista para a próxima semana. "Nossa posição sempre foi de privilegiar a mesa de negociação", disse hoje em entrevista na sede da estatal no Rio.Segundo ele, porém, paralelamente à negociação a Petrobras preparou planos de contingência para garantir a estabilidade da produção de petróleo. O plano de contingência, frisou Gabrielli, não prevê a importação adicional de produtos. "Ainda não há esta necessidade".Representantes da FUP estão reunidos hoje, no aguardo de uma contraproposta da estatal. A FUP discordou da decisão da companhia de fixar a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) em 13% - a lei permite até 25%. Na paralisação ocorrida na semana passada deixaram de ser produzidos 63 mil barris. "Num universo de mais de 1,8 milhão de barris que a companhia produz por dia, esse volume foi irrelevante", comentou Gabrielli.

KELLY LIMA, Agencia Estado

25 de julho de 2008 | 15h42

Mais conteúdo sobre:
petróleoPetrobrasgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.