Petrobras: ainda sem data de reajuste nos combustíveis

No dia em que o barril do petróleo alcançou a marca recorde de US$ 53 em Nova York, o diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto da Costa, garantiu nesta quinta-feira que a empresa ainda não fixou data nem índice para o reajuste dos preços dos combustíveis. Ele negou que a demora tenha relação com as eleições municipais.Costa argumenta que os preços do petróleo estão mudando diariamente e não permitem, ainda, saber qual será o novo patamar sobre o qual será calculado o reajuste. O diretor de Abastecimento admitiu, no entanto, que não há perspectiva de redução rápida dos preços a um patamar inferior ao de antes da crise, que era entre US$ 22 e US$ 28. Sua estimativa é de que o preço oscilará entre US$ 40 e US$ 50. Segundo ele, a estatal venezuelana PDVSA prevê que só haverá redução de preços no segundo trimestre de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.