Petrobras analisa parceria com dinamarquesa para etanol

A Petrobras divulgou comunicado hoje esclarecendo que a empresa está mantendo reuniões técnicas com a empresa dinamarquesa Novozymes, e com outras empresas e instituições, com o objetivo de estabelecer parcerias tecnológicas para o desenvolvimento de enzimas a serem utilizadas na produção de etanol a partir de bagaço de cana de açúcar.No comunicado, a empresa informa que, na última reunião entre representantes da Petrobras e da Novozymes, ocorrida na semana passada, foram debatidas possibilidades de cooperação tecnológica entre as instituições. "Embora não tenha sido estabelecido, até o momento, nenhum acordo formal entre as partes, é intenção da Petrobras prosseguir nas discussões, com a Novozymes e com outras instituições, visando o estabelecimento de um acordo tecnológico que contemple, de modo adequado, todos os aspectos técnicos, jurídicos e econômicos envolvidos em processos dessa natureza", frisou a estatal, em comunicado.A Petrobras comentou ainda que vem desenvolvendo tecnologia para a produção de etanol a partir de resíduos vegetais, utilizando como modelo o bagaço de cana-de-açúcar. O processo baseia-se na conversão dos resíduos de celulose, presentes no bagaço de cana - e para conversão dos resíduos de celulose é necessária a utilização de enzimas específicas, denominadas celulases. "A Novozymes é, atualmente, uma das poucas empresas no mundo com capacidade de fornecimento destas enzimas. A parceria tecnológica em estudo pelas duas empresas tem como objetivo o desenvolvimento de uma enzima de menor custo e maior eficiência", esclareceu a empresa, que encerrou o comunicado informando que está realizando ensaios em laboratório, com resultados promissores, tendo sido geradas duas patentes sobre o processo, uma delas a milésima patente depositada pela Petrobras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.