Petrobras analisa projetos conjuntos com consórcio russo

A Petrobras analisa a possibilidade de realizar operações conjuntas com o consórcio russo Gazprom na América do Sul e em outras regiões. A informação foi dada nesta sexta-feira em Londres pelo presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli. Em reunião com analistas na capital britânica para apresentar o plano de negócios 2007-2011 da estatal, Gabrielli disse que as duas empresas estão "em uma etapa inicial das conversas", que classificou como "boas"."É cedo para dizer se vamos fazer algo juntos", acrescentou o presidente da Petrobras. Afirmou, entretanto, que existem "algumas possibilidades" que isto ocorra.O plano prevê investimentos de US$ 87,1 bilhões nos próximos cinco anos, o que representa um aumento de 66% na comparação com o projeto para o período 2006-2010, que era de US$ 52,4 bilhões. Com isso, a média anual de investimentos será de US$ 17,4 bilhões.O presidente da Petrobras disse que o novo plano de negócios manterá os objetivos de "crescimento agressivo" da companhia, "assegurando a consolidação da auto-suficiência do Brasil em petróleo".Do total de investimentos, US$ 12,1 bilhões serão aplicados no exterior, o que representa um aumento de 82% em relação ao plano anterior. O investimento no Brasil será de US$ 75 bilhões.Em relação às atividades internacionais, 70% serão dedicadas à prospecção e à produção, com foco na África Ocidental e no Golfo do México.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.