finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petrobrás anuncia campo gigante que vai aumentar reservas em 50%

Área situada na Bacia de Santos contém entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris; produção deve começar em 2013

O Estadao de S.Paulo

09 de novembro de 2007 | 00h00

A Petrobrás anunciou ontem a descoberta de um megacampo de petróleo, batizado de Tupi, que elevará em mais de 50% as reservas do Brasil. Estima-se que a área, situada em águas ultraprofundas da Bacia de Santos, contenha entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris. Segundo a estatal, a produção no local deve começar em 2013. A divulgação coincide com a crise de escassez de gás no País. Veja o especial sobre a Petrobras A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que o Brasil "deve passar ao patamar onde estão os países árabes, a Venezuela e outros países". "Reservas como essa podem transformar o Brasil num país exportador de petróleo." As ações da estatal dispararam na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os papéis ordinários (ON, que dão direito a voto) subiram 14,45% e os preferenciais (PN), 14,16%. A descoberta levou o governo a retirar do leilão da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que será realizado neste mês, todos os blocos localizados na camada de pré-sal, que vai do Espírito Santo a Santa Catarina. Essa área, onde está Tupi, estende-se por 800 quilômetros, com 200 quilômetros de largura. A decisão foi referendada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). O governo ainda não decidiu se essas áreas voltarão a ser oferecidas à iniciativa privada ou se ficarão sob a responsabilidade da Petrobrás. O ex-diretor da Agência Nacional de Petróleo (ANP) David Zylbersztajn avalia que a megadescoberta na área de Tupi aumenta a independência brasileira, mas alerta que o País precisa investir na transformação de óleo bruto para ampliar a produção nacional de derivados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.