Petrobras anuncia investimentos de R$ 54,8 bi em 2008

A Petrobras anunciou hoje que planeja investir R$ 54,865 bilhões em 2008, sendo que 87,6% dos recursos serão aplicados no País e o restante no exterior. Os investimentos integram o Plano de Negócios da Petrobras para o qüinqüênio 2008-2012. A empresa prevê alcançar no próximo ano uma produção diária nacional de 2,36 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) de petróleo e gás natural.Segundo a estatal, R$ 25,902 bilhões serão aplicados em exploração e produção de petróleo, sendo R$ 2,2 bilhões para a construção de plataformas. Em 2007, a empresa também colocou cinco plataformas em operação, que deverão atingir sua capacidade máxima de produção em 2008: FPSO Cidade do Rio de Janeiro, no campo de Espadarte, FPSO Piranema, no campo de Piranema, FPSO Cidade de Vitória, no campo de Golfinho e P-52, no campo de Roncador, além da P-54, também no campo de Roncador, com entrada em operação prevista para o final do ano.Outras cinco plataformas deverão entrar em produção no próximo ano, na Bacia de Campos: P-51, com capacidade de 180 mil barris de óleo e 6 milhões metros cúbicos (m?) de gás/dia, no campo de Marlim Sul; P-53, com capacidade de 180 mil barris de óleo e 6 milhões m3 de gás/dia, no campo de Marlim Leste; FPSO Cidade de Niterói, 100 mil barris de óleo e 3,5 milhões m3 de gás/dia, também no campo de Marlim Leste; e o FPSO Cidade de Rio das Ostras, plataforma para teste de produção com capacidade de 15 mil barris diários de óleo pesado (14 API), no campo de Badejo. Na Bacia do Espírito Santo, está prevista a entrada do FPSO Cidade de São Mateus, com capacidade de 25 mil barris de óleo e 10 milhões m3 de gás/dia, no campo de Camarupim.A área de Abastecimento contará com investimento de R$ 14,312 bilhões em 2008. No segmento de refino, a Petrobras concluirá as obras da nova Unidade de Coqueamento Retardado da Refinaria Duque de Caxias (REDUC) e da nova Unidade de Separação de Propeno na Refinaria Henrique Lage (REVAP). A Petrobras também iniciará em 2008 as obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco - investimento conjunto com a estatal venezuelana PDVSA, esta com fatia de 40%.O plano de negócios da Petrobras prevê investimento de R$ 5,636 bilhões na área de Gás e Energia em 2008. Deste total, R$ 3,7 bilhões serão utilizados na construção de gasodutos, R$ 700 milhões em projetos de termelétricas, R$ 500 milhões em plantas de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL), R$ 500 milhões no desenvolvimento de projetos de energias alternativas renováveis, cerca de R$ 100 milhões em pesquisa e desenvolvimento.A estatal concluirá até o final do ano cerca de 1 mil quilômetros de gasodutos, fazendo com que a malha administrada pela companhia passe a contar com aproximadamente 7.500 quilômetros. Com isso, a capacidade de transporte aumentará em cerca de 10 milhões de metros cúbicos por dia (m3/dia). Cerca de 70 milhões de m3/dia deverão estar disponíveis para oferta ao mercado no final do ano.A Petrobras deverá aplicar cerca de R$ 1,6 bilhão em pesquisa e desenvolvimento, um crescimento de R$ 100 milhões em relação a 2007, com destaque para tecnologias complementares necessárias para viabilizar a extração de petróleo na nova fronteira geológica pré-sal, de elevada profundidade.Para a área internacional, a companhia deve destinar US$ 3,2 bilhões, dos quais 32% nos Estados Unidos, 30% na América Latina, 19% na África, e os 19% restantes nos demais países. Do total a ser investido, a prioridade será o segmento de exploração e produção, com cerca de 66% do total a ser aplicado, seguidopelo refino, com 27%.Os Estados Unidos serão o principal foco dos investimentos da área internacional no próximo ano. Além dos recursos aplicados em exploração e produção no Golfo do México, destaca-se o projeto de ampliação da refinaria de Pasadena, no Texas, onde a Petrobras possui participação de 50%.No segmento de distribuição serão realizados investimentos de R$ 691 milhões, dos quais R$ 572 milhões serão aplicados pela BR Distribuidora e R$ 119 milhões pela Liquigás. Os recursos da BR estão concentrados, basicamente, na ampliação e modernização da sua rede de postos de serviço, no suporte aos clientes industriais e comerciais, em programas de segurança, meio ambiente e saúde, logística, e operações.Já a Liquigás desenvolverá o Projeto Rio, com um montante previsto para 2008 da ordem de R$ 35,5 milhões. O projeto prevê a construção de um centro de operações, compra de botijões e veículos no Estado do Rio de Janeiro, terceiro maior mercado consumidor de GLP do País, com o objetivo de aumentar a participação da Liquigás neste mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.