Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Petrobrás anuncia nova descoberta no pré-sal

Reservatório foi encontrado no primeiro bloco perfurado no pré-sal, na área Macunaíma, na Bacia de Santos, mas ainda não há definição do volume

Kelly Lima, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 00h00

A Petrobrás anunciou ontem nova descoberta no pré-sal na Bacia de Santos, ainda sem volume identificado. O reservatório foi encontrado na área previamente chamada de Macunaíma, localizada no bloco BM-S-10 - próximo ao campo de produção de Lula - onde já havia sido localizada a reserva denominada Parati.

O bloco, operado pela Petrobrás em parceria com a britânica BG (25%) e a portuguesa Partex (10%), foi o primeiro a ser perfurado pela companhia no pré-sal, em 2005. Desde então, o consórcio não perfurou mais na área, dedicando-se ao campo de Lula (ex-Tupi) localizado à sua direita, onde foram encontradas as reservas de 8,5 bilhões de barris. Também trabalhou na exploração de outras áreas que estavam com prazos de desenvolvimento mais apertados com a Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A nova descoberta foi comprovada por amostragem de óleo em teste feito nos reservatórios com profundidade de cerca de 5.680 metros. Considerando a lâmina d"água da região, os trabalhos são feitos a uma profundidade de mais de 6 mil metros e a 244 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro.

O tipo de óleo, com 26 graus API (medida internacional) é considerado de boa qualidade, bem próximo ao encontrado nas demais áreas do pré-sal de Santos, que têm 28 graus API. Nessa classificação, quando mais próximo de 50 graus, mais leve é o óleo, e consequentemente mais valorizado.

De acordo com a Petrobrás, o consórcio dará continuidade às atividades e investimentos para a avaliação das jazidas descobertas nessa área conforme plano de avaliação aprovado pela ANP, cuja conclusão está prevista para abril de 2012.

Recorde. A estatal não revela quais são as prioridades de perfuração para este ano, mas planeja investir US$ 4 bilhões em sua área de exploração para furar 162 poços. Destes, 53 serão no mar. Será a maior campanha exploratória da Petrobrás em um só ano em toda sua história.

A Bacia de Santos será a maior demandante de novos poços e a prioridade no polo de Tupi deverá ser do bloco BM-S-9, onde estão localizadas as áreas de Carioca, Abaré Oeste e Iguaçu. A Petrobrás tem até o fim de 2011 para declarar a comercialidade destas áreas.

Também presente no BM-S-9, a área de Guará possui prazo estendido para a declaração de sua comercialidade até o fim de 2012. A área de Guará é a única para a qual a Petrobrás fez projeção nesse bloco, de um potencial reservatório de 1,1 bilhão a 2 bilhões de barris.

Números mais exatos deverão ser divulgados ao longo deste ano, quando a companhia der andamento no teste de longa duração (TLD) iniciado na área. Até 2013, o TLD de Guará será substituído pelo sistema piloto, o próximo projeto definitivo do polo a entrar em operação depois do campo de Lula, com previsão de produzir 120 mil barris por dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.