Petrobras arremata maior número de blocos em leilão do Golfo do México

A Petrobras informou nesta quinta-feira que foi a companhia que arrematou o maior número de blocos no Lease Sale 200, leilão do setor norte-americano do Golfo do México, realizado na quarta-feira. "Com um total de US$ 45.483 milhões, oferecidos para 34 blocos, a Petrobras também foi a maior ofertante no que diz respeito ao valor total investido", detalhou a empresa, em comunicado. A empresa observou, no informe, que já havia dito essa semana que anunciaria o aumento de sua participação no desenvolvimento das descobertas dos campos de Cascade e Chinook, também no Golfo do México. "O próximo passo da Petrobras será a realização de estudos geológicos detalhados da região, a fim de localizar possíveis áreas para perfuração de poços exploratórios", informou. A Petrobras esclareceu que procurou, neste leilão, consolidar a sua posição em duas atuais áreas que são o foco de suas atividades: as águas ultraprofundas no quadrante Keathley Canyon e as águas profundas na região de Garden Banks. "A participação no Lease Sale 200 está alinhada com o Plano Estratégico da Petrobras, que determina um crescimento internacional forte em áreas-foco, entre elas as águas ultraprofundas do Golfo do México", finalizou a empresa, no comunicado.Cascade e ChinookA Petrobras havia anunciado na terça-feira que ampliou sua participação em dois importantes campos de petróleo nos Estados Unidos. Segundo comunicado, a empresa se torna operadora dos campos Cascade e Chinook, em águas profundas do Golfo do México, após comprar fatias pertencentes à australiana BHP Billiton. A estimativa é de que os dois projetos comecem a produzir petróleo a partir de 2009.Ao se tornar operadora, a Petrobras assume as rédeas dos projetos e já anunciou que pretende levar tecnologia brasileira para a região. A primeira decisão é utilizar, na primeira fase de produção, um navio-plataforma para extrair óleo dos reservatórios, conceito muito usado no Brasil, mas ainda inédito no Golfo do México.Com as aquisições, a Petrobrás passa a ter 50% de participação em Cascade, onde tem como sócia a americana Devon. Em Chinook, a companhia ainda negocia a fatia da americana Amerada Hess e pode chegar a 71,67% de participação, em parceria com a francesa Total.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.