Petrobras assina em junho contrato de exploração com iraniana

A Petrobras assina, em junho, contrato para exploração do Campo Tusan, no Irã. O projeto faz parte de sua entrada no mercado de exploração e produção no Golfo Pérsico. A empresa, no entanto, não forneceu mais informações sobre essa iniciativa, que ocorrerá em parceria com uma empresa iraniana.Além do Golfo Pérsico, a Petrobras pretende expandir a sua atuação no setor americano do Golfo do México e no oeste da África, além de buscar a liderança na América Latina. Do total de investimentos de US$ 7,5 bilhões no mercado internacional, 80% serão destinados à exploração e produção, com 50% alocados para a América Latina.Plano estratégicoO presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, disse hoje, na apresentação do plano estratégico da estatal, que a expectativa do mercado com relação à volta da empresa ao setor petroquímico foi "equivocada". "Quando falávamos em voltar ao setor, em nenhum momento pensamos em retomar o cenário da década de 70", afirmou."Não é intenção da Petrobras reestruturar a petroquímica nacional, mas sim investir em novos projetos, individualmente ou em parceria." Segundo ele, o projeto mais adiantado no momento, nessa linha, refere-se à produção de polipropileno em São Paulo, que consumiria em torno de US$ 160 milhões para entrar em operação, entre 2008 e 2009.O novo plano estratégico da Petrobras prevê ainda um preço do barril do petróleo brent em US$ 23,00 para o longo prazo e de US$ 28,00 no curto prazo. As metas foram estabelecidas considerando o período até 2010. A Petrobras trabalha também com um crescimento médio anual de 2,4% do consumo de derivados de petróleo no Brasil até 2010 em seu novo plano estratégico. Pelos cálculos da empresa, a demanda irá crescer de 1,7 milhão de barris este ano para 2,023 milhões de barris por dia em 2010. Segundo ele, o mercado verá uma maior diversificação da matriz energética no período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.