Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Petrobras aumenta gasolina em 3,3%, e alta acumulada no ano já é de 51%

Com o novo aumento, que acompanha a alta do barril do petróleo no exterior, preço do litro passa a ser de R$ 2,78; diesel não sofreu alterações

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2021 | 19h10

RIO - A Petrobras informou às distribuidoras de combustível que vai aumentar a gasolina em R$ 0,0945 a partir de amanhã, 12, nas refinarias, alta de 3,3% em relação ao reajuste anterior. informou a estatal. O preço do diesel não foi alterado. O último aumento do combustível havia sido realizado em 6 de julho, quando o litro da gasolina passou a custar R$ 2,69 nas refinarias. Com o novo aumento, o preço passa a ser de R$ 2,78 o litro. No ano, a gasolina já acumula alta de 51%.

O aumento acompanha a alta do petróleo no mercado internacional, que vem operando no patamar de US$ 70 o barril, impulsionado pelo avanço da vacinação contra covid-19 e a retomada da economia. Segundo a estatal, "os preços da companhia buscam o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo", informou em nota.  

Apesar do aumento  da gasolina, a defasagem em relação ao preço praticado no mercado internacional ainda é de 13%, segundo a corretora Ativa Investimentos. A corretora ressalta que a alta segue em linha com as suas estimativas, que já previam reajustes de forma fracionada para reduzir o impacto ao consumidor.

Sobre o impacto na inflação oficial medida pelo IPCA, a corretora informa que o impacto será incorporado proporcionalmente no final do terceiro decêndio de agosto, e integralmente a partir de setembro.

"Após incorporação em nossos modelos, estimamos que a contribuição da elevação da gasolina no IPCA de agosto é de 0,02 ponto porcentual e em setembro 0,05 ponto porcentual]", informou a Ativa.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásgasolinainflaçãopetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.