Petrobras avalia se mantém investimentos no Equador

A Petrobras ainda não decidiu se continuará atuando no Equador, afirmou hoje o diretor da área internacional da estatal, Jorge Zelada. "Estamos ainda avaliando como a Petrobras atuará no novo cenário e se será rentável para a empresa permanecer lá", disse. A Petrobras possui a concessão de dois blocos no Equador, mas produz em apenas um deles, cerca de 30 mil barris de óleo por dia. A estatal já investiu no país US$ 300 milhões e planejava aplicar US$ 500 milhões entre 2008 e 2013.Segundo ele, a estatal está negociando com o governo equatoriano uma nova proposta para o pagamento de royalties sobre as duas áreas em que possui concessão naquele país. O governo do Equador tentou elevar o porcentual destes royalties de 50% para a 99% para todas as companhias que atuam no país, mas isso está sendo revisto junto às empresas."Com pagamento de 99%, a atividade fica inviável. Hoje estamos negociando na casa de 90%, mas ainda não há nada fechado", disse, sem especificar se a Petrobras estaria satisfeita com este porcentual. "A Petrobras está mirando sua rentabilidade e com base nisso tomará sua decisão", disse.Indagado sobre o risco político a que a estatal estava se expondo ao atuar junto a alguns países na América Latina, como Bolívia, Venezuela e agora o Equador, Zelada comentou que "o risco político é quase inerente ao setor de petróleo" e que a Petrobras avalia caso a caso, sempre pensando em sua rentabilidade para definir ações pontuais.Ainda sobre o Equador, o diretor comentou a polêmica que envolve o bloco 18, em que a Petrobras ainda não obteve a licença para operar. "Nós já entregamos na semana passada todos os documentos necessários e estamos aguardando", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.