Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Petrobrás bate recorde na produção de derivados em 2014

Empresa informa que este é o segundo recorde anual seguido; produção cresceu 2,1%, para 45 mil barris de petróleo por dia

Beth Moreira, O Estado de S. Paulo

02 Fevereiro 2015 | 11h47

A Petrobrás informou nesta segunda-feira, 2, que bateu novo recorde de produção de derivados em suas refinarias no Brasil, em 2014, ao atingir a produção total de derivados de 2,17 milhões de bpd. Segundo a estatal, o volume é 45 mil barris de petróleo por dia superior ao recorde anterior, alcançado em 2013, com um aumento no ano de 2,1%. Este é o sexto recorde anual seguido, o que demonstra o crescimento da produção de derivados em patamares sustentáveis.

A Petrobrás destaca, em comunicado à imprensa, que o recorde de produção total foi acompanhado por recordes de diversos produtos ao longo do ano passado, com destaque para os derivados mais consumidos pelo mercado, como a gasolina, o diesel e o querosene.

Em 2014, a produção de diesel totalizou 311 milhões de barris, um acréscimo de 1 milhão de barris em relação a 2013. Segundo a empresa, o início de operação das unidades de tratamento de diesel da Refinaria de Paulínia (Replan - SP), em novembro de 2013, da Refinaria Gabriel Passos (Regap - MG), em janeiro de 2014, e da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap - RS), em setembro de 2014, contribuiu significativamente para esse resultado.

Além disso, completa a estatal, seis refinarias alcançaram recorde anual, devido à maior utilização das unidades de destilação e de hidrotratamento, respondendo por 72,3% da produção de diesel: Replan, Refinaria Landulpho Alves (RLAM- BA), Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar - PR), Refinaria Presidente Bernardes (RPBC- SP), Refinaria Henrique Lage (Revap- SP) e Refinaria de Capuava (Recap- SP).

A gasolina, que a partir de janeiro de 2014 passou a ser comercializada com baixo teor de enxofre (50 partes por milhão), também atingiu recorde anual, segundo a estatal. A produção do derivado totalizou 180 milhões de barris, com acréscimo de 1 milhão de barris frente a 2013.

A Petrobrás explica que o crescimento foi alcançado com a maior utilização das unidades de craqueamento (processo utilizado para transformar óleos pesados em derivados de petróleo mais nobres). Quatro refinarias obtiveram seus maiores níveis de produção anual e contribuíram significativamente para esse resultado, respondendo por 34,4% do volume de gasolina: Refinaria Landulpho Alves (RLAM- BA), Refap, Regap e Recap.

A produção de querosene, por sua vez, totalizou 38 milhões de barris em 2014, representando um acréscimo de 3 milhões de barris em relação a 2013. A marca alcançada é resultado da otimização dos processos produtivos, do aproveitamento de sinergias entre as refinarias e da redistribuição de mercados entre os polos supridores, informa a estatal. Cinco refinarias alcançaram recorde anual, respondendo por 56,6% da produção de querosene: Refinaria Duque de Caxias (Reduc - RJ), Replan, Regap, Repar e Refinaria Isaac Sabbá (Reman - AM).

Derivados para a indústria. A maior otimização do parque de refino levou também a novos recordes de produção dos derivados utilizados pela indústria brasileira. A produção de asfalto, segundo a Petrobrás, foi de 3,3 milhões de toneladas em 2014, 600 mil toneladas maior que o recorde obtido em 2013. O crescimento na produção do derivado atendeu a demanda crescente deste mercado. Quatro refinarias obtiveram recorde, respondendo por 58,9% da produção de asfalto: Regap, Replan, Reduc e Reman.

A produção de propeno, matéria-prima da indústria petroquímica, também foi recorde, atingindo 882 mil toneladas em 2014, 36 mil toneladas superior ao recorde anterior, em 2012. Revap, Repar e Refap alcançaram suas maiores produções históricas deste derivado para atender a indústria.

A produção de óleos básicos, utilizados na fabricação de lubrificantes, totalizou aproximadamente 680 milhões de litros pelo segundo ano consecutivo. Os óleos básicos são produzidos na Reduc, RLAM e Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor- CE), tendo o volume de 2013-2014 superado em 80 milhões de litros o biênio 2011-2012, permitindo o aumento da oferta ao mercado interno e a disponibilidade para exportação.

A estatal informa ainda que O volume de parafina, produzida na RLAM e na Reduc, foi o maior dos últimos seis anos, somando 89 mil toneladas em 2014. Contribuiu para este resultado a otimização dos processos produtivos e o aumento do portfólio de produtos para atendimento à demanda do mercado interno e externo, explica a empresa. A Petrobrás ressalta ainda que este desempenho é reflexo do aumento da eficiência operacional obtido pela gestão integrada do sistema de Abastecimento, contribuindo para a redução das importações de derivados.

Mais conteúdo sobre:
petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.