Petrobras cancela licitação de módulo de energia

A Petrobras cancelou a licitação do módulo de energia da P-51 e P-52 "por preço excessivo apresentado pelas concorrentes" informou o diretor da área de serviços da estatal Renato Duque. Segundo o diretor, não será convocada nova licitação para o módulo. As três empresas concorrentes serão chamadas pela Petrobras para renegociação de seus preços. Isso porque apenas as três participantes desta primeira licitação são capazes de realizar o módulo de energia para estas plataformas. A empresa vencedora da licitação havia sido a italiana Nuovo Pignoni com uma proposta de US$ 117 milhões, ante US$ 138 milhões apresentados pela americana Dresser. A britânica Rolls Royce havia sido desclassificada do processo licitatório por não ter apresentado prazo c ondizente com o que a Petrobras havia solicitado. Apesar do envelope apresentado pela Rolls Royce não ter sido aberto após sua desclassificação, circula no mercado a informação de que a empresa havia apresentado proposta inferior em US$ 40 milhões à apresentada pela vencedora. A Rolls Royce não confirma a informação. O módulo de energia tinha orçamento previsto, segundo informações do mercado, em torno de US$ 60 milhões a US$ 80 milhões. O diretor Renato Duque informou ainda que a estatal tentou renegociar o preço com a italiana Nuovo Pignoni, mas não obteve sucesso na negociação. Segundo ele, a alteração do processo licitatório neste módulo não vai prejudicar o cronograma final das plataformas. Ainda hoje, pode ser divulgado o nome do vencedor da licitação do módulo de construção do casco de integração dos top-sides, que corresponde a 60% da licitação total orçada inicialmente em US$1 bilhão.

Agencia Estado,

11 Julho 2003 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.