Petrobras cancela projetos e dará prioridade às térmicas

A Petrobras cancelou projetos no valor de US$ 2,3 bilhões, aproximadamente, afirmou hoje o presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, em entrevista coletiva para apresentar o novo plano estratégico da companhia para o período até 2010.Os projetos cancelados estavam previstos no planejamento anterior, mas Gabrielli não quis especificá-los. Segundo ele, todo o valor que seria destinado a este projetos foi remanejado para outras áreas.Gabrielli disse também que os projetos de investimento relacionados ao gás da Bolívia estão apenas adiados, mas não foram suspensos do planejamento estratégico da companhia para até 2010. Entre estes projetos estava o de construção de um pólo gás químico na fronteira entre o Mato Grosso e a Bolívia.Setor petroquímicoEm contrapartida, a Petrobras elevou seus investimentos no setor petroquímico até 2010 para US$ 2,1 bilhões, ante US$ 1,1 bilhão previsto anteriormente nos planos da companhia. O valor está contido nos US$ 12,9 bilhões que serão aplicados na área de abastecimento.PrioridadeA Petrobras dará prioridade às usinas termelétricas no consumo de gás natural. Além disso, o presidente da estatal admitiu que serão desestimulados o consumo deste combustível em indústria em veículos, este sob a forma de GNV. Questionado sobre a possibilidade de recorrer ao aumento de preços para frear o aumento da demanda do GNV, Gabrielli respondeu secamente: "sim, podemos".Segundo o planejamento estratégico da estatal, a demanda de gás natural em 2010 será de 99,3 milhões de metros cúbicos, sendo que 46,4 milhões serão destinados às térmicas, 39,1 milhões às indústrias e 13,8 milhões a outros usos (entre eles, GNV).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.