Petrobras cancela publicidade comemorativa na Bolívia

A ofensiva do governo boliviano contra a Petrobras levou a empresa a suspender campanha publicitária em que comemoraria 10 anos de atividades no país vizinho. A campanha está pronta desde o final do ano passado, mas, segundo fontes da estatal, foi adiada porque não há clima para comemorações após a publicação do decreto de nacionalização das reservas bolivianas, com direito a cerco do exército às instalações da empresa.A Petrobrás não informou o custo da campanha, mas confirmou que o adiamento de sua veiculação. Os filmes, que mostram funcionários da Petrobras Bolívia, foram produzidos sob encomenda da área de comunicação institucional da sede brasileira, que tem contrato com três agências - F/Nazca, Quê e Duda Mendonça.O principal objetivo, segundo uma fonte, era divulgar a marca da companhia na região de La Paz, onde a empresa tem apenas dois postos de gasolina e ainda é pouco conhecida pelos consumidores. A região do altiplano boliviano, onde está a capital, é justamente a base política do presidente Evo Morales e palco das principais manifestações a favor da nacionalização das reservas.A estatal brasileira chegou à Bolívia em 1995, mas foi em 1996, com o início das obras do Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), que iniciou de fato suas atividades. Em 1999, comunicou ao mercado a descoberta de dois importantes campos de gás no sul do país - San Alberto e San Antonio - que hoje estão no centro da crise com o governo boliviano. No mesmo ano, comprou duas refinarias e uma rede de postos em um leilão de privatização, tornando-se a maior empresa em atividade no país.A Petrobrás costuma investir bastante em publicidade nos países onde atua. Na Argentina, por exemplo, estampava sua marca no uniforme do time de futebol Racing, que usa as mesmas cores da camisa da seleção argentina. A estratégia, nesse caso, era romper uma possível resistência da população local a uma empresa brasileira. O patrocínio ao Racing está sendo rompido, em busca de uma vitrine de maior expressão no país. A subsidiária local da Petrobras também promove eventos culturais e patrocina artistas locais.

Agencia Estado,

09 de maio de 2006 | 20h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.