Petrobras construirá nova refinaria

O diretor de Refino da Petrobras, Rogério Manso, disse hoje que a estatal pretende construir uma refinaria com capacidade de 150 mil barris/dia no Brasil. A unidade será a primeira a tratar óleo pesado no País. O projeto já está previsto no plano estratégico da estatal anunciado hoje, mas não deverá ser concluído até 2007. O executivo adiantou que a refinaria pode ser feita em parceria e que tem como objetivo principal suprir ao aumento na demanda de óleo diesel no País. A revisão do plano estratégico prevê um incremento de 200 mil barris/dia na carga processada do país até 2007. O custo de refino foi mantido em US$ 0,85 por barril entre 2005 e 2007. TérmicasA Petrobras não vai fazer novos investimentos em usinas térmicas até 2007, segundo o diretor financeiro, José Sérgio Gabrielli. Segundo ele, está prevista apenas a manutenção dos projetos já existentes, nos quais a construção já esteja em andamento. Segundo Gabrielli as térmicas nas quais a Petrobras tem investimentos previstos, individuais ou em parceria, são Ibirité, Fafem, Termo Rio e TermoAçu. Nessas térmicas serão investidos US$ 500 milhões. O diretor financeiro da estatal informou ainda que o novo plano estratégico não considera eventuais modificações no contrato de compra e venda de gás natural entre o Brasil e a Bolívia.Novo cenário econômicoA Petrobras informou que reviu seu plano estratégico para se adaptar a nova realidade econômica projetada até 2007. As novas metas fixadas levam em consideração um cenário de petróleo Brent no curto prazo de US$ 27,54 em média e de US$ 15 no longo prazo. A estatal trabalha ainda com um crescimento médio anual do PIB mundial de 3% e do PIB brasileiro de 3,1%. Segundo o diretor Sérgio Gabrielli, a taxa de câmbio média projetada é de R$ 3,43. GásFoi previsto também um crescimento médio anual na demanda por derivados de petróleo de 2,8% para o Brasil e de 11,3% na demanda de gás natural no País. Para o gás, as estimativas feitas pela estatal apontam um total de crescimento da demanda no período de 48%, passando dos 28,5 milhões de metros cúbicos por dia para 48,8 milhões de metros cúbicos por dia. Deste total, o consumo em termelétricas passa de 19% para 35%. Os investimentos previstos pela Petrobras neste período na ampliação de sua malha de gasodutos será de US$ 1,2 bilhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.