Petrobras contrata construção de casco de plataforma

O estaleiro Atlântico Sul - composto por Camargo Correa, Queiroz Galvão e Promar - vai construir o casco da plataforma P-55, da Petrobras. O contrato para a realização da obra, no valor de US$ 392,6 milhões, foi assinado hoje, com a presença do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e dos diretores da Petrobras Renato Duque, da área de Serviços, e Guilherme Estrella, da área de Exploração e Produção.A P-55 já teve duas licitações canceladas. Na primeira, no final do ano passado, a Petrobras julgou os preços apresentados pelas empresas concorrentes muito elevados em relação ao orçamento prévio que havia sido feito. O menor preço apresentado pela Keppel Fels havia sido de US$ 1,6 bilhão para a construção da plataforma inteira. Na segunda licitação, a Petrobras recebeu apenas uma proposta, do estaleiro Jurong Shippyard, de Cingapura. O preço também foi considerado excessivo.Depois disso, a estatal mudou o modelo de contratação e dividiu a concorrência em três partes. Nesta primeira foi licitada apenas a construção do casco. Em março do ano que vem a Petrobras deve lançar as licitações dos módulos de geração de energia, compressão de gás e construção do topside.À época do lançamento deste modelo de licitação, a Petrobras havia divulgado que ainda teria técnicos trabalhando até março para a simplificação do projeto, visando a redução dos custos da obra.A P-55 será instalada no módulo 3 do campo de Roncador, na bacia de Campos. A unidade tem capacidade para a produção de 180 mil barris de óleo por dia e seis milhões de metros cúbicos de gás natural diários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.