Petrobras convida apenas duas empresas nacionais para licitação

Apesar do esforço demonstrado pelo governo para garantir participação nacional nas encomendas da Petrobras, com a exigência de um conteúdo mínimo de 75% nos novos contratos, somente duas empresas de capital local foram convidadas a participar da licitação para a construção das plataformas P-51 e P-52. O diretor de Exploração e Produção da estatal, Guilherme Estrela, afirmou que, mesmo com a republicação do edital para a licitação das obras, orçadas em aproximadamente US$ 1 bilhão, a estatal manteve a lista de convidadas no governo anterior.Ele não quis divulgar os nomes contidos na lista, mas apenas a construtora Odebrecht e o estaleiro Brasfels, antigo Verolme, administrado pela joint-venture entre a Keppel Fels, de Cingapura, e a construtora Pem-Setal, de São Paulo, confirmaram ter recebido cartas-convites. Mesmo assim, a Petrobras acredita que o incentivo será indireto - as estrangeiras deverão procurar empresas brasileiras para a formação de consórcios que lhes garantam uma posição mais privilegiada na disputa por conta da exigência do conteúdo mínimo. "Várias empresas nacionais estão sendo procuradas pelas estrangeiras que têm interesse em fazer parcerias para participar da licitação. Com isso, elas vão ganhar, porque receberão investimentos de fora em sua infra-estrutura", comentou Estrela. Pelo menos quatro estaleiros nacionais já teriam sido procurados para formação de parcerias: Mauá-Jurong (vencedor da licitação para a construção da P-50 da Petrobras), Ultratech, localizado em Niterói, Renavi, que ainda está por reiniciar suas atividades, também em Niterói e Luclep, de Itaguaí (RJ).A construtora Andrade Gutierrez também teria formado parceria com o estaleiro espanhol Dragados para participar da concorrência. O Dragados é o responsável pela construção de uma plataforma semelhante às P-51 e P-52 em concorrências internacionais. Segundo lista extra-oficial que circulou no setor, também haviam sido convidadas as coreanas Samsung, Daewoo e Hyundai (juntamente com o espanhol Dragados, responsáveis pela construção de cinco plataformas semelhantes) a norueguesa Akker Kvaerner (elaboradora do projeto da P-51 e P-52), a americana Technip, a sueca Asea Brown Boveri (ABB) e a espanhola ISA.O secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Estado do Rio, Wagner Victer, disse que representantes das concorrentes já procuraram a Secretaria para intermediação de contato com estaleiros locais. Segundo ele, foram colocados funcionários da Secretaria à disposição desses investidores estrangeiros. Victer confirmou que os estaleiros receberam propostas de coreanos, americanos e espanhóis. O prazo para a entrega das propostas termina em 30 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.