Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Petrobrás declara comercialidade de Tupi e Iracema

No total, as duas áreas possuem volume recuperável de 8,3 bilhões de barris de óleo; Tupi passará a se chamar Campo de Lula

Agência Estado,

29 de dezembro de 2010 | 11h24

A Petrobrás efetuou nesta quarta-feira, 29, a declaração de comercialidade das acumulações de petróleo de boa qualidade e gás nas áreas de Tupi e Iracema na Agência Nacional de Petróleo (ANP). No total, as duas áreas possuem volume recuperável de 8,3 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), segundo fato relevante encaminhado pela estatal nesta quarta-feira, 29.

Na proposta encaminhada ao órgão regulador pela Petrobrás, a área de Tupi passará a se chamar Campo de Lula. A área possui volume recuperável de 6,5 bilhões de boe, com densidade de 28º API. A área de Iracema, que se chamará Cernambi, tem 1,8 bilhão de barris a 30º API. "O Campo de Lula será o primeiro campo supergigante de petróleo do País (volume recuperável acima de 5 bilhões de boe), e o Campo de Cernambi está entre os cinco maiores campos gigantes do Brasil", diz a companhia, no comunicado.

A declaração de comercialidade ocorre após a execução do programa de avaliação exploratória na área a partir do primeiro poço perfurado em outubro de 2006, segundo a Petrobrás. Os 11 poços perfurados nas duas áreas e o teste de longa duração (TLD) na área de Tupi, iniciado em abril de 2009, geraram as principais informações para embasar o volume recuperável total divulgado hoje.

Além da declaração de comercialidade, a Petrobrás encaminhou à ANP o relatório final do plano de avaliação e o plano de desenvolvimento (PD) dos dois campos, que fazem parte do Bloco BMS-11, operado pela estatal, que detém 65% da concessão, e tem como outros concessionários a BG Group, com 25%, e Galp Energia (10%).

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobráspetróleoTupi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.