Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Petrobras defende leilões de exploração de petróleo

O presidente da Petrobras, Jose Sergio Gabrielli, disse hoje que o furto de dados sigilosos da Petrobras não tem porque afetar a realização dos próximos leilões de área de exploração de petróleo pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). "São coisas distintas. Quem define o leilão é o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e a ANP. Isso não é uma coisa do âmbito da Petrobras, são agentes e decisões diferentes", disse. O Ministério Público recomendou à ANP que suspenda os leilões. Gabrielli evitou classificar a natureza do furto. "Temos um episódio que merece ser investigado e eu não vou me pronunciar enquanto não tiver o resultado da investigação. Fazer qualquer comentário só aumentaria as especulações". Segundo ele, a tese de que trata de uma questão de segurança nacional é "uma hipótese", mas o furto comum também é. Gabrielli voltou a defender a empresa e afirmou que o furto não ocorreu em uma operação de transporte de dados e sim de equipamentos.

LEONARDO GOY, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2008 | 17h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.