Petrobras deixou de faturar R$ 33 milhões por dia em junho

A Petrobras deixou de faturar cerca de R$ 33 milhões por dia em junho devido à defasagem dos preços dos combustíveis no mercado interno em relação às cotações internacionais. Os cálculos são do economista Adriano Pires, divulgados nesta segunda-feira no boletim "Energia em foco".Segundo Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infra-estrutura (CBIE), especializado em estudos do setor de energia, os preços do diesel e da gasolina no Brasil, em junho, estiveram, em média, 16% e 15% abaixo, respectivamente, do mercado internacional. No caso do Gás Liqüefeito de Petróleo (GLP), o preço médio do vasilhame de 13 quilos, no mercado doméstico, em maio, ficou cerca de 28% abaixo do mercado internacional. Pelos cálculos de Pires, do início de 2005 até o final do mês passado, a Petrobras deixou de faturar cerca de R$ 5,3 bilhões, devido à defasagem de preços dos combustíveis no mercado interno.Segundo o boletim, o preço médio do petróleo Brent ficou em torno de US$ 69,69 por barril no mês passado, enquanto a cotação do WTI (outro tipo de óleo) ficou em US$ 70,97 por barril. Na avaliação de Pires, a manutenção desses preços em patamares elevados resultou de uma queda dos estoques de gasolina nos Estados Unidos, logo no início do verão, quando aumenta a demanda. Outro fator foi o fechamento do canal de navegação no estado de Lousiana para limpeza de um derramamento de petróleo, afetando a produção de combustível de três refinarias da região. Além disso, questões geopolíticas, como o conflito Estados Unidos-Irã, referentes ao enriquecimento do urânio, também alimentam os riscos e as altas das cotações, observa o economista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.