Petrobras descarta aumento já da gasolina

O diretor financeiro da Petrobras, Sérgio Gabrielli, afastou hoje a possibilidade de alteração nos preços dos combustíveis no curto prazo, mesmo com o aumento da tensão no Oriente Médio, causada pelo assassinato do líder espiritual do Hamas pelo governo de Israel. "Estamos acompanhando os preços atentamente e há uma estabilidade no longo prazo, apesar da recente alta", afirmou. Segundo ele, não faz parte da estratégia comercial da estatal alterações freqüentes nos preços da gasolina e do óleo diesel. "Optamos por acompanhar os preços por um período mais longo e decidir isso com base em dados que não ficam mudando dia após dia", afirmou. Gabrielli reconheceu que a tensão causada pelo avanço do terrorismo "restringem o volume de recursos para emergentes". Em sua opinião, entretanto, este é um movimento que "dura pouco tempo". Para ele, é uma hipótese distante a perspectiva de queda dos juros nos Estados Unidos. "Os investidores estrangeiros vão continuar buscando outras rentabilidades melhores do que os juros americanos." Ele não revelou os planos de captação da estatal para este ano e garantiu que a posição da empresa é confortável, pois fechou 2003 com um caixa de R$ 25 bilhões.

Agencia Estado,

23 Março 2004 | 19h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.