Petrobras descarta captação de recursos em 2006

O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, descartou hoje a realização de captações financeiras no mercado no próximo ano. Segundo ele, a geração de caixa da companhia tem sido superior ao esperado, o que inibe a necessidade de recursos externos. De acordo com ele, esta geração de caixa (de R$ 10 bilhões nos três primeiros trimestres deste ano) não deverá influenciar em mudanças na distribuição de dividendos - parte do lucro da empresa que é divido com os acionistas. "Vamos manter a nossa política", informou. Barbassa também foi questionado pelos analistas sobre o impacto para a Petrobras de ter se tornado investment grade (opção de investimento): "Por não termos feito qualquer captação, este impacto em eventuais taxas de financiamento ainda não se mostrou. Mas na última captação que fizemos, no ano passado, houve uma antecipação do mercado a este investment grade com a oferta de boas taxas à Petrobras, devido aos seus resultados", comentou. Exportações de óleo A Petrobras deve recuperar no quarto trimestre seu volume de exportações de óleo bruto que caíram de 343 mil barris por dia para 247 mil barris por dia no período de julho a setembro, com relação ao trimestre anterior. Segundo Barbassa, a queda no período foi por problemas logísticos, devido aos furacões que atingiram os Estados Unidos. Ele disse ainda que este volume que não foi exportado deve ser compensado na balança comercial da empresa neste quarto trimestre. O diretor explicou ainda que o volume de importações, que foi maior no terceiro trimestre devido à maior demanda tradicional de óleo diesel neste período com a entrada da safra agrícola, deve ser equilibrada nos últimos meses do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.