finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Petrobrás descobre nova super-reserva

Campo fica em águas rasas do Espírito Santo e tem óleo leve; mesmo assim, ações da estatal caem 10,3%

Nicola Pamplona e Kelly Lima, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2008 | 00h00

A Petrobrás confirmou ontem a existência de um reservatório com cerca de 3,5 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo somado ao gás) na província conhecida como Parque das Baleias, no litoral sul do Espírito Santo. O volume é equivalente ao do maior campo produtor de petróleo do País, Marlim, na Bacia de Campos.A diferença é que, na província capixaba, há grande quantidade de óleo leve: entre 1,5 bilhão e 2 bilhões de barris, ou seja, mais de dois terços do reservatório. Esse tipo de óleo tem valor comercial mais elevado, porque exige custo de refino menor e produz mais diesel. O Parque das Baleias - um conjunto de oito concessões operadas integralmente pela Petrobrás - é considerado hoje um dos projetos prioritários da estatal, pela quantidade de óleo leve em uma região de águas rasas e próxima ao continente. Ou seja, a produção lá deve demandar tempo inferior e investimentos menos vultosos que os do pré-sal da Bacia de Santos. Especialistas acreditam que, por isso, o projeto terá destaque na revisão do planejamento estratégico da estatal, a ser anunciada no início do mês que vem. Na divulgação do balanço do terceiro trimestre, a diretoria da Petrobrás anunciou que a prioridade é para projetos de retorno mais rápido, para aliviar os efeitos da crise mundial. A área do Parque das Baleias já produz óleo do pré-sal, num poço do Campo de Jubarte. A descoberta divulgada ontem foi confirmada pela perfuração de dois poços, um no campo de Baleia Franca e outro no de Baleia Azul. "Os excelentes resultados dessas duas perfurações, as ótimas respostas do teste de longa duração (TLD) do poço pioneiro e as facilidades logísticas já instaladas e em instalação na área levam a Petrobrás a intensificar os estudos para acelerar a produção do pré-sal do Espírito Santo", disse a companhia em nota oficial. "Vamos trabalhar para consolidar as descobertas e colocar em produção o mais rápido possível", disse o diretor de Exploração e Produção da estatal, Guilherme Estrella. Duas novas plataformas já estão a caminho da região para produzir em reservatórios do pré-sal. O FPSO (unidade flutuante de produção, estocagem e transferência de petróleo) Capixaba será deslocado para Jubarte e o FPSO Seillean vai para o Campo de Cachalote. O Parque das Baleias não apresenta tantos desafios tecnológicos quanto a região do pré-sal da Bacia de Santos, onde está Tupi. No conjunto do Espírito Santo, a camada de sal tem espessura entre 200 e 700 metros; em Santos, são mais de 2 mil metros de sal. As novas projeções de reservas no Parque das Baleias foram comunicadas ontem à Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em setembro, o Estado informou que o potencial da área chegava aos 4 bilhões de barris, volume que pode ser atingido após as novas perfurações. A Petrobrás já perfurou seis poços no pré-sal do Parque das Baleias, todos com sucesso. Em relatório distribuído ao mercado, a analista Mônica Freitas, da Corretora Ativa, lembra que a descoberta representa um aumento de 10,8% a 14,4% nas reservas provadas no Brasil, hoje na casa dos 13,9 bilhões de barris de óleo equivalente. Em sua análise no fim da manhã, porém, ela já antecipava que haveria pouco impacto nas ações, por causa da queda no preço do petróleo. Mesmo assim, as ações da Petrobrás caíram 10,31% na Bovespa. "O desempenho das ações foi guiado pela queda no preço do petróleo e também pela fuga dos investidores de papéis de commodities", comentou o analista Luiz Otávio Broad, da Ágora Corretora .

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.