Petrobras desiste de projeto de gás na Venezuela

Segundo presidente da estatal, avaliação mostrou que o projeto de Mariscal Sucre não é atraente para o País

Reuters,

13 de novembro de 2007 | 11h35

A Petrobras afirmou que não planeja mais um investimento em um projeto de gás na Venezuela que, segundo analistas, foi suspenso devido a desentendimento sobre o uso do gás.  "Estamos fora do projeto de Mariscal Sucre", disse o presidente-executivo da Petrobras, José Sergio Gabrielli, à Reuters, em entrevista nesta terça-feira, 13. "Nossa avaliação acerca de Mariscal mostrou que ele não é atraente para nós." Gabrielli não quis dar mais detalhes. Analistas apontam que a Venezuela tinha intenção de usar o gás dos campos para abastecer o mercado local, enquanto a Petrobras preferia liquefazer o gás para se lançar no lucrativo mercado internacional.  O presidente-executivo da Petrobras acrescentou que, apesar de algumas recentes reduções no fornecimento de gás para o mercado brasileiro, não há escassez.  "Essa crise é falsa", pontuou, afirmando ainda que os consumidores industriais podem escolher ter contratos que garantam abastecimento ininterrupto de gás, mas que muitos não estavam dispostos a pagar o custo adicional pela garantia.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasGás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.