coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Imagem Coluna do Broadcast
Colunista
Coluna do Broadcast
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Petrobrás deve voltar a captar no exterior neste mês

Estatal petroleira quer aproveitar para fazer emissão externa a custos atrativos e antes de eleição

Coluna do Broad, O Estado de S. Paulo

07 de janeiro de 2018 | 05h00

Com presença frequente no mercado de dívida externa, a Petrobrás deverá acessar novamente os investidores internacionais neste mês. A estatal ainda não bateu o martelo, mas a percepção é de que a janela tende a ser aproveitada pela companhia, visto que os custos devem ser atrativos. Joga a favor ainda a falta de visibilidade de como estará o humor do mercado no segundo semestre, dado o período eleitoral. Outro fator que está sendo colocado como positivo é o fim da incerteza por conta do acordo firmado pela Petrobrás com investidores estrangeiros, colocando fim em uma ação coletiva que a companhia enfrentava na Justiça americana. No ano passado, a estatal foi duas vezes ao mercado externo e levantou US$ 6 bilhões. A estreia de emissores brasileiros lá fora deve ocorrer nesta semana, com Rumo, Rede D’Or e Marfrig. Já Hidrovias do Brasil, outra novata, anunciará sua captação nos próximos dias. Procurada, a Petrobrás não comentou.

Tique-taque

O acordo para alongar uma dívida de cerca de R$ 14 bilhões da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) com Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, esperado para ser concluído na semana passada, atrasou e deve ficar para esta semana. Procurada, a siderúrgica não comentou.

Tecnológico

Em paralelo a um movimento de readequação da sua estrutura de atendimento, o Banco do Brasil está apostando em inteligência cognitiva para se comunicar com clientes nas redes sociais. Depois de ser testado com funcionários, o chatbot do banco – assistente virtual automatizado – chegou ao final de 2017 atendendo a 70% dos assuntos tratados no canal. Para este ano, o foco é atingir 100%.

Topo

O escritório Mattos Filho encerrou 2017 na liderança do ranking de assessoria jurídica da América Latina em transações de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês) tanto em valores, com US$ 14,828 bilhões transacionados, quanto em número de operações (48). O levantamento foi feito pela consultoria Mergermarket. Foi o segundo ano consecutivo em que o Mattos Filho alcançou a posição. Considerando o número de transações no ano, os escritórios Pinheiro Neto, Machado Meyer e Baker McKenzie aparecem na sequência.

Digitalizando

A prefeitura de Uberlândia, cidade do Estado de Minas Gerais, acaba de se tornar a primeira financeiramente digital. O Social Bank, fintech de pagamento digital, firmou parceria com a prefeitura para disponibilizar serviços bancários digitais para empresas, poder público e cidadãos, como pagamentos de contas, saques e transferências gratuitas e empréstimos entre pessoas. Uberlândia é o quarto município do Brasil com maior concentração de startups por habitantes.

Produtividade

Mesmo em um cenário de desemprego ainda elevado, o investimento anual das empresas brasileiras em treinamento e desenvolvimento (T&D) cresceu 21% em 2017, atingindo uma média de R$ 788 por trabalhador, de acordo com pesquisa realizada pela Integração Escola de Negócios, em parceria com a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e a Carvalho & Mello Consultoria Organizacional. No ano passado, as empresas gastaram 0,63% do faturamento bruto investido em T&D, ante o valor de 0,46% investido em 2016.

Ainda baixo

O número, porém, é muito inferior ao investido pelas empresas dos Estados Unidos, por exemplo, onde o porcentual do faturamento aportado em treinamento e desenvolvimento dos funcionários foi de 1,43%, mostra o estudo.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.