Petrobras devolve para ANP seis blocos de exploração

A Petrobras devolveu nesta quarta-feira à Agência Nacional do Petróleo (ANP) seis dos 22 blocos de exploração cujo prazo de concessão chegou ao fim. Para os outros, a empresa entregou à agência planos de avaliação de descobertas, nos quais pretende delimitar o potencial. A ANP agora analisa os planos e decide se as concessões poderão ser mantidas com a estatal e seus parceiros.Dos 16 blocos onde pretende continuar a exploração, a Petrobras tem parceria com empresas privadas em cinco. As áreas foram concedidas em 1998, sem licitação, e já têm descobertas importantes, como os campos de Jubarte e Cachalote e a área denominada Parque das Baleias, com quatro descobertas, todos no Espírito Santo, com reservas superiores a 2 bilhões de barris. Além disso, há a maior descoberta de gás natural do Brasil, de 70 bilhões de metros cúbicos, no litoral paulista e o bloco SEAL-100, pivô de uma crise com a agência devido à divulgação antecipada de uma descoberta de óleo de boa qualidade.A devolução das áreas era esperada pelo mercado, que espera a licitação dos blocos em novos leilões da ANP. Estas áreas tiveram 129 descobertas de petróleo desde que foram concedidas, a maioria ainda não avaliada. Entre os blocos cujo prazo venceu hoje, estava o BC-10 e o BC-2, ambos em Campos, onde as gigantes Shell e Total encontraram petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.