Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Petrobrás dispara e Bovespa interrompe série de quedas

Sem destacar uma causa única para alta da estatal, operadores citaram os rumores sobre a substituição da presidente da empresa, Graça Foster; Bovespa subiu 0,80%

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2015 | 17h31

A Bovespa interrompeu quatro sessões seguidas de queda e fechou em alta, conduzida pela disparada das ações da Petrobrás, que ajudaram a impulsionar os ganhos da Bolsa. No fim do dia, o Ibovespa indicou alta de 0,80%, aos 48.026,31 pontos. Na máxima do dia, o índice atingiu 48,853 pontos (+2,53%) e, na mínima, 47.648 pontos (estável). O volume de negócios totalizou R$ 6,920 bilhões, segundo dados preliminares. No ano, a Bovespa acumula queda de 3,96%. 

A Bovespa manteve os ganhos desde a abertura, mesmo com a aversão ao risco desencadeada no início do dia na Europa, com a decisão de política monetária do Banco Central da Suíça. A autoridade anunciou que eliminou o limite de baixa para o euro em relação ao franco suíço, em 1,20, e reduziu a taxa de depósito para -0,75%, de -0,25%. A decisão apagou o sinal positivo que prevalecia entre as bolsas europeias e os índices futuros das bolsas de Nova York. 


Entretanto, as bolsas internacionais voltaram a subir ainda pela manhã, ajudadas pela recuperação dos preços do petróleo após um relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Em um relatório, divulgado mensalmente, a Opep reduziu sua previsão para o aumento da produção em países que não pertencem ao grupo, em um sinal de que os preços baixos estão afetando os investimentos no setor mundo afora. Em relação aos Estados Unidos, onde a produção da commodity subiu consideravelmente nos últimos anos, a Opep cortou sua estimativa para o crescimento da produção em 100 mil barris por dia.

Durante a tarde, as Bolsas de Nova York e o petróleo voltaram a cair. A commodity foi pressionada pelo problema de excesso de oferta, enquanto os mercados acionários em Wall Street foram afetados por balanços piores que o esperado dos bancos Citigroup e Bank of America e dados mistos dos Estados Unidos.

Os pedidos semanais de auxílio-desemprego subiram ao maior nível em quatro meses no País, a 316 mil, mais que a previsão de alta a 295 mil solicitações. O índice de preços ao produtor (PPI), por sua vez, caiu menos que o esperado, em -0,3% em dezembro, ante expectativa de baixa de 0,4%. Já o índice Empire State de atividade do Federal Reserve de Nova York subiu a 9,95, bem acima do nível esperado, em 4,5.

No setor corporativo americano, o Citigroup, a terceira maior instituição financeira dos EUA, registrou lucro líquido de US$ 350 milhões no quarto trimestre de 2014, abaixo dos US$ 2,46 bilhões do mesmo período de 2013, influenciado por despesas judiciais. Já o Bank of America, segundo maior banco dos EUA em ativos, reportou queda de 11,3% no lucro, para US$ 3,05 bilhões. Após o fechamento do mercado, a fabricante de processadores Intel e a gestora de recursos BlackRock divulgam seus resultados trimestrais.

No Brasil, as ações da Petrobrás fecharam em forte alta de 8,82% (ON) e 6,86% (PN). Profissionais consultados pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, não atribuíram uma única razão para a alta dos papéis da estatal. Eles lembraram que ontem as ações fecharam na maior variação permitida no after market, de 2%, puxados pela arrancada dos preços do petróleo a minutos do final. Um gestor informou que, além da disparada do óleo ontem - com vencimento de opções do WTI na Nymex -, voltaram a circular na mesas no after a possibilidade de Henrique Meirelles ir para a vaga de Graça Foster na Petrobrás. Hoje, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, defendeu a dirigente da estatal.

Vale ON e Vale PNA subiram 1,16% e 0,82%. O preço do minério de ferro subiu 0,3% hoje, para US$ 68 a tonelada no mercado à vista chinês.

No setor financeiro, as ações recuaram: Banco do Brasil (-0,63%), Bradesco PN (-1,02%) e Itaú Unibanco (-0,44%).

Tudo o que sabemos sobre:
bovespapetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.