Petrobras divulga nota reafirmando investimentos em gás natural

A Petrobras divulgou na tarde desta quarta-feira uma nota ao mercado reafirmando seus investimentos em gás natural. Recentemente a estatal decidiu retirar os incentivos que conferia ao gás boliviano, o que implicará em aumento médio de 13% a partir de 1º de setembro.A empresa foi criticada por analistas pela medida. Segundo alguns profissionais, a Petrobras primeiro incentivou o consumo do gás natural pela indústria, mantendo descontos no preço desde janeiro de 2003, e agora eleva o preço com o objetivo de conter a demanda. Veja a íntegra do comunicado:"INVESTIMENTOS DA PETROBRAS NO MERCADO DE GÁS NATURALA Petrobras reafirma o seu compromisso com o mercado de gás natural brasileiro - o de maior crescimento entre os diversos combustíveis. Esta semana, ao divulgar para o mercado a revisão de seu Plano de Negócios, no qual prevê investimentos de U$ 56,4 bilhões no período de 2006-2010, a Companhia deixou claro esse compromisso: mesmo em um ambiente de maiores custos dos empreendimentos, contempla US$ 6,5 bilhões especificamente para a área de Gás e Energia, além dos recursos destinados à exploração e produção de gás natural.O Plano de Negócios tornará possível o despacho simultâneo de todas as usinas termelétricas do sistema elétrico interligado brasileiro, mediante o uso, primordialmente, de gás natural, e de combustíveis líquidos. Permitirá também o crescimento sustentável da oferta de gás natural para as companhias distribuidoras na ordem de 11% ao ano.Embora, as estimativas da Petrobras indiquem um crescimento da ordem de 9% ao ano para o mercado industrial e em torno de 16% para outros segmentos, incluindo o veicular, a destinação final do gás entregue às distribuidoras cabe exclusivamente às mesmas, atendidas as exigências da regulação de competência dos estados.Ressaltamos ainda que, após um período de 32 meses em que a Petrobras absorveu significativos aumentos de custos, a atualização dos preços anunciada na última semana visou assegurar justamente a sustentabilidade destes investimentos para o atendimento às demandas previstas.Importante ressaltar que, mesmo após este necessário ajuste, o gás natural continuará extremamente competitivo em relação aos energéticos com os quais concorre, além de apresentar expressivas vantagens de qualidade, de operação e de aspectos ambientais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.