Petrobras diz à Bolívia não poder reduzir demanda de gás

A Petrobras divulgou nota no início desta noite informando que reiterou hoje ao governo boliviano a impossibilidade de o País de reduzir a demanda do volume máximo de 30 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.A direção da Petrobras recebeu hoje, na sede da Companhia, no Rio de Janeiro, a visita de uma delegação boliviana encabeçada pelo vice-presidente da República, Álvaro Garcia Linera, e pelo Ministro de Hidrocarbonetos, Carlos Villegas. Eles foram recebidos pelo presidente da Companhia, José Sérgio Gabrielli, e pela diretora de Gás e Energia, Maria das Graças Foster, entre outros executivos.Segundo a nota, a Petrobras informou sua impossibilidade de reduzir a demanda do volume de gás previsto no contrato de compra firmado com a estatal boliviana, mais o volume necessário à operação do sistema. A nota da estatal informa ainda que "o encontro representou um avanço nas negociações entre a Petrobras e o governo boliviano sobre temas de interesse comum".Ainda de acordo com a Petrobras, foram discutidas as condições para investimentos da Petrobras na Bolívia, entre eles os recursos previstos para os campos de San Alberto e San Antonio, onde a estatal já atua, e atividades exploratórias no campo de Ingre, já iniciadas.Os representantes bolivianos também estiveram no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para discutir projeto de construção de uma rodovia ligando La Paz a Pando e Beni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.