Petrobras diz que greve não afeta produção

A paralisação de 24 horas promovida pelos petroleiros em todo o País não está prejudicando a produção e nem há riscos de desabastecimento no setor. A informação foi dada pela Petrobras, que revela estar disposta a negociar com a categoria. Segundo a Rádio CBN, os petroleiros paralisaram as atividades por volta da zero hora desta terça-feira para pressionar a direção da empresa a cumprir o acordo coletivo de trabalho assinado no ano passado. De acordo com o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Antonio Carrara, entre as reivindicações dos empregados estão a elaboração de um plano de cargos e salários e o fim das discriminações entre funcionários novos e antigos. Carrara informa que, das 11 refinarias existentes em todo o País, 10 aderiram ao movimento. Ele acrescentou que a produção está sendo mantida nas plataformas onde os trabalhadores realizam a ´operação-padrão´. O coordenador revelou ainda que, nos setores de produção e manutenção, a adesão chega a 95%. Já no setor administrativo, o percentual de participação varia de 60% a 70%. Acrescentou que a paralisação afeta os Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Rio de Janeiro, Amazonas, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Norte. No Rio de Janeiro, os petroleiros realizam piquetes no pátio da Refinaria de Duque de Caxias. Conforme Carrara, se não houver negociação com a Petrobras, a categoria fará uma greve de cinco dias a partir do próximo dia 5 de julho

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.