Petrobrás diz que não pode esperar fornecedor local

A presidente da Petrobrás, Graça Foster, afirmou ontem que, apesar da determinação de dar prioridade à indústria nacional nos contratos da empresa, não pode colocar em risco a produção da companhia. "Sabemos que não é possível fazer tudo (no Brasil) e a Petrobrás não pode esperar. Não é prioridade para nós nenhuma contratação que coloque em risco nossa curva de produção", afirmou a executiva, que participou de uma solenidade de assinatura de contratos de construção de oito embarcações de apoio marítimo offshore.

Antonio Pita, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2014 | 02h00

"Nós temos uma dificuldade diária, permanente, com a indústria fornecedora. Não é uma característica do Brasil, da China ou da Noruega, mas de todo o mundo. Talvez a gente cobre mais do Brasil. Este é o momento de a indústria naval mostrar a um de seus clientes a que veio", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.