Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Petrobrás diz que vai cumprir teto de US$ 142 bilhões de gastos previstos até 2019

Em resposta a questionamento da BM&FBovespa, companhia afirma que o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 prevê adoção de medidas para reduzir os gastos operacionais

Renato Carvalho , Agência Estado

15 Setembro 2015 | 09h24

A Petrobrás divulgou nesta terça-feira,15, um esclarecimento ao mercado, em resposta a um questionamento da BM&FBovespa com base em matérias veiculadas na imprensa, sobre a política de corte de gastos da estatal. 

No documento, a companhia afirma que o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 prevê a adoção de medidas de otimização e ganhos de produtividade para reduzir os gastos operacionais, e que o objetivo é cumprir o teto de US$ 142 bilhões em despesas gerenciáveis no nesse período.

Segundo a Petrobrás, algumas ações já adotadas mostram que esse resultado pode ser alcançado com maior eficiência na gestão de serviços contratados, racionalização das estruturas e reorganização dos negócios, otimização dos custos de pessoal e redução nos gastos com suprimento de insumos.

A companhia lembra que no mês passado, foram divulgadas aos funcionários as primeiras medidas nesse sentido, como a redução de despesas com viagens e transporte, contratação de consultorias, eventos e comunicação, treinamentos fora da Universidade Petrobrás e gastos de pessoal.

No último dia 10, a Petrobrás apresentou às entidades sindicais a proposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2015, em que prevê a possibilidade dos empregados de setores administrativos possam optar por uma jornada de trabalho de 30 horas semanais, com redução de 25% nos salários. 

Mais conteúdo sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.