Petrobras é a vedete do momento

A Petrobras é a vedete atual que tem condições de se manter no posto nos próximos 10 anos, apontam os especialistas. Para eles, das empresas listadas atualmente, os papéis da estatal reúnem o maior número de características favoráveis para sustentar um bom nível de transações. "A empresa deve continuar com seu capital aberto e nos moldes atuais, já que provavelmente não será privatizada nesse período", comentou o gestor de renda variável do Banco Chase Manhattan, Eduardo Favrin. A companhia, avaliou Favrin, vem apresentando melhoras administrativas desde o momento em que deixou de ser gerida por critérios políticos. "A empresa está elevando o nível de transparência para o mercado e ainda detém tecnologia em seu campo de atuação." O responsável pela área de gestão de recursos do Dresdner Bank, Luiz Neves aposta que a a Petrobras pode se tornar uma opção de investimento com mais brilho que o atual. "O desenvolvimento do setor é de longo prazo, e a estatal tem experiência única nas prospeção em águas profundas." Para Neves, a empresa pode manter o espaço atual de 12% no Índice Bovespa (contando todos os tipos de ações negociadas), mesmo com a entrada de novos papéis de peso. O analista da Agência Estado, Paulo Tanaka, atribui parte do charme de Petrobras no mercado à recente oferta de ações ordinárias (ON, com direito a voto) que estavam em poder do governo. Para ele, a condição de estatal é um dos entraves ao desenvolvimento da empresa. "Isso deixa as operações muito dependentes do governo em exercício." Outra ressalva feita por Tanaka diz respeito às características do próprio petróleo. "É um produto cujo preço fica muito exposto a variações mundiais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.