Petrobras e Ministério Público encerram negociação

Segundo o MPT, estatal petrolífera não teve interesse em levar adiante a negociação

Kelly Lima, Agencia Estado

09 de outubro de 2007 | 18h54

A Petrobras e o Ministério Público do Trabalho (MPT) no Rio de Janeiro encerraram as negociações que visavam a celebração de acordo judicial com relação a terceirizações ilícitas. Desde maio deste ano, a Ação Civil Pública movida pelo MPT ficou suspensa por determinação do Juízo da 69ª Vara do Trabalho a fim de que fosse tentado um acordo para a substituição de trabalhadores terceirizados por concursados.Em nota divulgada à imprensa, o MPT informou que a Petrobras não teve interesse em levar adiante a negociação. "A partir de agora, o processo judicial voltará a tramitar novamente e caberá ao juiz determinar o que deve ser feito com relação às terceirizações ilícitas já detectadas na ação civil pública. Ao longo dos últimos meses, não houve demonstração de interesse por parte da empresa em solucionar o problema", disse o Procurador do Trabalho Marcelo José Fernandes da Silva na nota à imprensa.Segundo o comunicado, o MPT pedirá ao Ministério Público Federal investigação sobre o caso, tomando as medidas que forem consideradas cabíveis, "inclusive com relação à improbidade administrativa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.