Petrobras e PDVSA se reúnem para detalhar cooperação

Representantes do setor de compras e serviços da Petrobras e da Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA) se reúnem nas próximas quinta e sexta-feira no Rio para detalharem os acordos de cooperação de bens e serviços assinados entre as duas empresas e com a participação dos presidentes dos respectivos países. Segundo o coordenador do grupo de trabalhos por parte da estatal brasileira, da Área Internacional Corporativa do Petrobras, Claudio Raeder, a idéia é que a PDVSA inclua entre os seus fornecedores as empresas já cadastradas e qualificadas pela estatal brasileira."Se considerarmos que em média cada 10 mil barris de óleo produzidos representam compras da de bens e serviços da ordem de US$ 250 milhões - e é isso que temos verificado - podemos imaginar uma escala de compra na Venezuela que atinja a casa dos bilhões de dólares, já que, sem indústrias de equipamentos disponíveis em seu território, o país tem que importar praticamente todos os equipamentos que necessita para produzir seus três milhões de barris diários. É um volume imenso de oportunidades para as empresas brasileiras", disse.Ele salientou que o grupo vai tentar negociar entre os acordos bilaterais já existentes entre os dois países uma forma de compensar, via exportações, ou benefícios fiscais, a isenção tributária que será concedida à Refinaria Abreu e Lima, a ser construída pela Petrobras em parceria com a PDVSA em Pernambuco. "Somados os benefícios fiscais rendem à PDVSA uma economia de US$ 1 bilhão ao longo de 20 anos de operação da refinaria", salientou Raeder.Segundo ele, também oferecem oportunidades de vendas para os fornecedores brasileiros, além da América Latina, a África e o Golfo do México. "Ainda não começamos a preparar atividades para desenvolver esses mercados, mas com a expansão dos negócios a Petrobras para essas regiões fica evidente que os seus fornecedores também deverão caminhar nesse sentido", disse Raeder, em apresentação nesta terça-feira na Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) para empresários do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.