Petrobras e Vale garantem alta de 2,13% à Bovespa

Alta do petróleo e das commodities metálicas ajudam Bolsa de São Paulo, reduzindo perda acumulada no mês

Claudia Violante, da Agência Estado,

27 de agosto de 2008 | 17h52

A recuperação das commodities permitiu à Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) interromper uma seqüência de três quedas seguidas e fechar com alta firme, superior a 2%. As ações da Petrobras e Vale guiaram as ordens de compras, que ainda foram firmes em siderúrgicas e bancos. As bolsas norte-americanas, embaladas por um indicador favorável divulgado mais cedo, também subiram, garantindo tranqüilidade aos negócios domésticos.  Veja também:Cenário externo dita ritmo e dólar recua para R$1,622 O Ibovespa terminou o pregão em alta de 2,13%, aos 55.519,2 pontos. Durante o dia, oscilou entre a mínima de 54.366 pontos (+0,01%) e a máxima de 55.591 pontos (+2,27%). No mês, ainda acumula perdas, de 6,70% e, no ano, de 13,10%. O giro financeiro totalizou R$ 3,581 bilhões (preliminar), abaixo da média diária de agosto (que também já está mais baixa do que nos últimos meses e soma R$ 4,904 bilhões até terça-feira, segundo o site da Bovespa). As ações da Petrobras subiram na esteira do avanço do preço do petróleo. Na Nymex, o contrato para outubro subiu 1,62%, para US$ 118,15, com as preocupações sobre o avanço da tempestade Gustav para o Golfo do México, onde há várias instalações offshore de petróleo e gás. Petrobras ON subiu 2,83% e PN, 2,95%.  As commodities metálicas também avançaram no mercado internacional e levaram as ações da Vale a fecharem na máxima do dia, com variação de 3,27% as ON e de 4,03% as PNA. Os setores siderúrgico e bancário acompanharam a recuperação em bloco e com altas bastante firmes. Um destaque foi Banco do Brasil ON, com +5,41% e Metalúrgica Gerdau PN, com +3,84%. Hoje, o Citigroup elevou a recomendação de neutra para overweight do setor bancário, ajudando a influenciar a alta dos papéis.  Nos EUA, o Dow Jones terminou em alta de 0,79%, aos 11.502,5 pontos, o S&P avançou 0,80%, para 1.281,66 pontos, e o Nasdaq terminou com variação positiva de 0,87%, para 2.382,46 pontos. Os ganhos foram sustentados pelo indicador positivo de encomendas de bens duráveis, vigor das ações do setor financeiro e percepção de que a alta do petróleo é temporária, à luz das condições de tempestade tropical no Golfo do México.  O Departamento do Comércio informou pela manhã que as encomendas de bens duráveis nos EUA inesperadamente subiram 1,3% em julho, ante expectativa dos economistas de queda de 0,4%. Também agradou a declaração do presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, que previu hoje que a inflação deverá ceder a partir do próximos meses.  Para amanhã, com apenas dois pregões de terminar agosto, os investidores podem intensificar as compras para garantir melhor desempenho a suas carteiras. Mas isso apenas se os indicadores que serão conhecidos principalmente nos Estados Unidos e as commodities deixarem.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaMercado Financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.