Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Petrobrás eleva em 1% o preço médio da gasolina nas refinarias

Preço médio do litro de combustível nas refinarias agora passa para R$ 1,5232

Redação

12 de fevereiro de 2019 | 10h38

A Petrobrás anunciou alta de 1,01% no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias, válido a partir desta terça-feira, para R$ 1,5232. Além disso, a estatal manteve o preço do diesel, em R$ 2,0005, conforme tabela disponível no site da empresa. Para a próxima quarta-feira, 13, a estatal vai manter os mesmos valores divulgados nesta manhã.

Em dezembro, a Petrobrás anunciou um mecanismo de proteção complementar em que ela pode alterar a frequência dos reajustes diários do preço do diesel no mercado interno em momento de elevada volatilidade, podendo mantê-lo estável por curtos períodos de tempo de até sete dias, 'conciliando seus interesses empresariais com as demandas de seus clientes e agentes de mercado em geral'. Já o hedge da gasolina, que passou a ser adotado em setembro, permite à empresa manter os valores estáveis nas refinarias por até 15 dias.

​Gasolina ou etanol

Os preços médios do etanol permanecem vantajosos ante os da gasolina em apenas cinco Estados brasileiros - Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e São Paulo -, todos grandes produtores do biocombustível. O levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido em média por 58,37% do preço da gasolina, em São Paulo por 64,42%, em Minas Gerais a 64,83% e em Goiás a 67,06%. No Paraná a paridade está em 69,79%. Na média brasileira, a paridade é de 65,71% entre os preços médios do etanol e da gasolina, também favorável ao biocombustível. A gasolina segue mais vantajosa em Roraima, com a paridade de 99,11% para o preço do etanol.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:
Petrobrásgasolina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.