coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Petrobras encerra acordo de redução de risco com Bolívia

A Petrobras está encerrando um acordo de hedge (que reduz o risco) na Bolívia firmado em outubro de 2002. O "Contrato de Redução de Volatilidade do Preço de Gás Natural", fechado com a Empresa Petrolera Andina, tinha o objetivo de reduzir a exposição a qualquer excessiva variação do preço de compra de parte dos volumes de gás natural adquiridos em negócios de longo prazo (Gas Supply Agreement - GSA). "A partir das mudanças regulatórias na Bolívia, as partes passaram a manter diferentes interpretações relacionadas à aplicação desse contrato. A Petrobras vinha avaliando os possíveis efeitos econômicos e legais dessas mudanças aplicáveis ao contrato", diz a estatal em nota.Com o encerramento, a Petrobras diz que receberá US$ 41,3 milhões. Mas o restante dos créditos vinculados ao contrato, no valor de US$ 76,7 milhões, será reconhecido como uma perda no resultado do terceiro trimestre, conforme princípios contábeis brasileiros. TurquiaA Petrobras também divulgou nesta quinta que assinou com a companhia de óleo estatal turca TPAO (Türkýye Petrollerý Anoným Ortaklidi) dois contratos para exploração em águas profundas do Mar Negro. De acordo com a estatal brasileira, a Petrobras e a TPAO atuarão em parceria, sendo 50% a participação de cada empresa, na exploração e produção dos blocos 3920 (Kirklarelli) e 3922 (Sinop). "Os blocos apresentam um grande potencial geológico, com possibilidades de serem encontrados grandes volumes de hidrocarboneto", informou, em comunicado. De acordo com informações apuradas pela estatal, no bloco Kirklarelli, situado na parte oeste do setor turco do Mar Negro, a profundidade média de água é de 1.200 metros. No outro bloco (Sinop) situado na parte mais oriental, a profundidade é de cerca de 2.200 metros. Na avaliação da estatal brasileira, a região turca do Mar Negro é ainda bastante inexplorada, mas apresenta perspectivas de bons resultados. "A Turquia é um país cercado por importantes bacias produtoras e seu território é cortado por uma grande rede de dutos de óleo é gás que abastecem a Europa", informou a empresa, no comunicado.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 11h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.