Petrobrás escora alta da Bovespa

Papéis da estatal inibiram realização de lucros do índice paulista; dólar voltou a mostrar força após quatro baixas

Claudia Violante, Taís Fuoco e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

A alta das ações da Petrobrás impediu a Bovespa de fechar a sessão de ontem no negativo. O principal índice acionário doméstico subiu parco 0,10%, aos 57.909,95 pontos, depois de ter caído em boa parte do período da tarde. As ordens de vendas se intensificaram após a divulgação do Livro Bege do Federal Reserve, que mostrou que a economia norte-americana continuou se estabilizando entre julho e agosto, mas os fracos gastos de consumo sugerem uma recuperação contida da recessão. Em Wall Street, o documento fez as bolsas diminuírem momentaneamente os ganhos, para fecharem em alta de 0,53% no índice Dow Jones e de 1,11% no Nasdaq. O aumento do petróleo e a notícia de que a Petrobrás constatou ''altíssima produtividade'' dos reservatórios com óleo do pré-sal no poço de Guará, na Bacia de Santos, fez os papéis PN da estatal avançarem 0,36%. O dólar interrompeu uma sequência de quatro quedas e subiu 0,49%, a R$ 1,836 no balcão, refletindo saída de recursos, fatores técnicos e o fluxo cambial em agosto. No mercado de juros, as taxas encerraram perto da estabilidade, à espera da ata do Copom e do IPCA de agosto, amanhã. O juro de janeiro de 2011 fechou a 9,72%.

FRASE

Alex Cukierman

Profº da Univ. de Tel Aviv ao AE Broadcast ao Vivo

''BCs precisam ser vigilantes e cautelosos para não demorar em subir os juros, nem fazê-lo cedo demais. É um desafio substancial''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.