Petrobras espera proposta para aquisição de refinaria colombiana

A Petrobras espera para sexta-feira uma definição sobre a proposta para aquisição do controle da refinaria de Cartagena, na Colômbia, feita na semana passada. A estatal brasileira disputa a unidade com o grupo suíço Glencore. A refinaria é operada pela estatal colombiana Ecopetrol, que quer atrair capital estrangeiro para aumentar a capacidade de refino. Segundo o gerente de estratégia da área internacional da companhia, Cláudio Castejon, a proposta tem como objetivo ampliar o refino de óleo pesado brasileiro no exterior, para agregar valor às exportações brasileiras de petróleo. "Toda vez que avançamos na cadeia, ganhamos em margens e reduzimos a instabilidade", disse o executivo, após participar do seminário O Brasil e a agenda internacional, no Rio. Caribe e Estados UnidosNessa linha, a companhia ainda avalia oportunidades de negócios de refino em outras regiões, notadamente no Caribe, onde, segundo Castejon, há acordos de exportação de petróleo para os Estados Unidos em melhores condições. "Os Estados Unidos hoje consomem 25% do petróleo mundial, é natural que a produção seja destinada para lá." O executivo não descartou a entrada no mercado americano de distribuição de combustíveis, frisando que ainda não há negócios em andamento. "Estamos sempre olhando oportunidades", afirmou. MéxicoCastejon disse ainda que a empresa está de olho nas águas profundas da porção mexicana do Golfo do México, atualmente inexploradas. O mercado mexicano é fechado a empresas estrangeiras, mas a estatal brasileira já atua lá como prestadora de serviços. "Entramos nisso apostando que, de alguma forma, o México pode querer parceiros para desenvolver suas águas profundas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.