Petrobras está 'muito otimista' com Júpiter, diz diretor

O diretor-financeiro da Petrobras, Almir Guilherme Barbassa, disse hoje que ainda não há uma estimativa para o tamanho da reserva de gás e condensado de Júpiter, na Bacia de Santos, anunciada na noite de terça-feira, mas salientou que as perspectivas são promissoras. Segundo ele, a descoberta deve tornar o Brasil auto-suficiente em gás natural."O pessoal está muito otimista com a descoberta", disse Barbassa, durante o encontro anual do Forum Econômico Mundial, iniciado hoje em Davos, Suíça. Ele observou que o campo de Júpiter tem uma extensão estimada de 1.150 quilômetros quadrados, quase similar ao de Tupi, de 1.200 quilômetros quadrados. "É o mesmo tipo de reserva pré-sal, de alta produtividade em gás e óleo condensado, que é um petróleo super leve", disse. "O volume é muito grande e temos boas possibilidades". A estimativa para o tamanho do campo de Júpiter, acrescentou, não deve sair antes de 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.