Petrobras estuda termelétrica de US$ 500 milhões em Manaus

A Petrobras deverá investir entre US$ 450 milhões e US$ 500 milhões em uma usina termelétrica a gás natural em Manaus, que deverá ter uma capacidade total de 1 mil megawatts (MW), segundo informou o gerente-geral de Planejamento e Desenvolvimento da companhia, José Luiz Juhas. O investimento marca a estratégia da estatal de somente realizar novos investimentos em termogeração em projetos estratégicos, que tenham importância significativa para o País.O gerente-geral acrescentou que uma retomada mais ampla dos investimentos em usinas termelétricas dependerá dos rumos das discussões do novo modelo. "Se tivermos, com o novo modelo, uma remuneração mais adequada, voltaremos a investir em novas usinas", disse Juhas. Ele considera um nível adequado de remuneração um retorno de 13%.O projeto da termelétrica de Manaus, que ainda não foi batizada, poderá entrar em operação no final de 2004. Segundo Juhas, será uma turbina bicombustível, que funcionará inicialmente com óleo combustível até a chegada a Manaus do gás natural produzido em Coari, na Selva Amazônica, que passará então a alimentar a termelétrica. A produção inicial deverá ser de 320 ou 440 MW. "Ainda estamos estudando qual será a capacidade inicial."MódulosA idéia é ampliar a produção em módulos de geração. A expectativa é de que o fornecimento de gás natural a Manaus tenha início no final de 2005. A usina somente estará terminada em 2012, previu Juhas.O projeto da termelétrica de Manaus faz parte dos esforços do governo federal de evitar que a capital do Amazonas enfrente problemas com o fornecimento de energia elétrica. A capital amazonense é citada como uma das áreas em que o equilíbrio entre oferta e demanda encontra-se fragilizado.A Eletronorte estuda, movida pelo mesmo objetivo, a construção de uma linha de transmissão que permitirá o fornecimento da eletricidade produzida pela hidrelétrica de Tucuruí para atender a Manaus. Os dois projetos não são excludentes, segundo fontes da Eletronorte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.