Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Petrobrás exercerá preferência em três áreas do pré-sal

Pedro Parente afirmou que foram escolhidos apenas os campos de Sapinhoá, Peroba e Alto de Cabo Frio Central por causa das limitações financeiras da estatal, além de critérios técnicos

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2017 | 11h05

RIO - A Petrobrás anunciou nesta quinta-feira, 25, que exercerá direito de preferência em três áreas na segunda e na terceira rodada de licitações do pré-sal, que serão realizadas sob regime de partilha de produção em 27 de outubro.

A companhia participará dos leilões com a fatia mínima de 30 % em cada área, sendo que na segunda rodada exercerá a preferência para a área unitizável adjacente ao campo de Sapinhoá, enquanto na terceira a estatal exercerá preferência em Peroba e Alto de Cabo Frio Central. A Petrobrás afirmou que o valor correspondente ao bônus de assinatura a ser pago pela companhia, considerando que os resultados dos leilões confirmem apenas as participações mínimas indicadas em cada bloco, é de R$ 810 milhões.

Limitações financeiras por conta do comprometimento do caixa com o pagamento de dívidas somadas a critérios técnicos levaram a Petrobrás a escolher ser operadora em apenas três, dos oito reservatórios de pré-sal que serão oferecidos em leilão pela União neste ano.

O presidente da companhia, Pedro Parente, afirmou que "restrições de natureza financeira" pesaram na escolha, mas também critérios técnicos como o risco exploratório, o investimento em infraestrutura logística que cada área demanda, a integração com os campos já operados pela Petrobrás e o perfil geológico que vai determinar o tipo de equipamento que deve ser usado nas áreas.

"Todas as áreas (de pré-sal que vão a leilão neste ano) são muito boas. Mas a decisão é relativa. Nenhum dos campos é ruim", disse Parente, em coletiva de imprensa

VEJA TAMBÉM: Estaleiro Enseada busca sócio e tenta diversificar negócios para sobreviver

A estatal ressaltou, no entanto, que "poderá ampliar o percentual de 30% indicado para as áreas onde está exercendo seu direito de preferência, formando consórcios para participar das licitações".

A companhia também disse que, nas áreas em que não exerceu direito de preferência, poderá participar em condições de igualdade com os demais licitantes, seja para atuação como operador ou como não-operador.

Segundo a Petrobrás, o investimento em áreas nesses leilões não impactará as metas de seu Plano de Negócios e Gestão 2017-2021.

Na Petrobrás, nova direção reduz divida em US$ 100 bi

"Novas prioridades foram estabelecidas no planejamento, de modo a prever os recursos financeiros para a aquisição dessas áreas exploratórias, sem impactos nas métricas durante o período do plano", afirmou.

A segunda rodada vai oferecer aos investidores as áreas unitizáveis adjacentes aos prospectos de Carcará (bloco BM-S-8), Gato do Mato (bloco BM-S-54), Campo de Sapinhoá, na bacia de Santos, e Campo de Tartaruga Verde (jazida compartilhada de Tartaruga Mestiça), na bacia de Campos. Os bônus de assinatura totalizam 3,4 bilhões de reais.

A terceira rodada ofertará as áreas de Pau Brasil, Peroba e Alto de Cabo Frio Oeste, na Bacia de Santos, e a área de Alto de Cabo Frio Central, nas Bacias de Santos e Campos. O valor dos bônus de assinatura soma R$ 4,35 bilhões. /COM REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásCamposCarcaráPau Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.