Petrobras fecha contrato para expansão de rede de gasodutos

A Petrobras comunicou que assinou hoje, em Nova York, contratos que viabilizarão o financiamento no valor de US$ 1 bilhão para implantação do Projeto Malhas, que prevê a expansão das redes de gasodutos das Regiões Sudeste e Nordeste. Segundo a estatal, as obras ampliarão a capacidade de transporte de gás natural no Nordeste em 9 milhões de metros cúbicos por dia nos próximos dois anos, podendo chegar a 14 milhões em 2012. Na Região Sudeste a capacidade de transporte será ampliada em 13 milhões de metros cúbicos por dia, nos próximos dois anos. A Petrobras afirma que o projeto foi elaborado inicialmente para atender à demanda das usinas termelétricas, incluídas no Programa Prioritário de Usinas Termelétricas (PPT), mas hoje tem como principal objetivo garantir o suprimento da demanda do setor industrial, além de estimular a massificação do uso do gás natural. "Com este projeto a Petrobras também pretende incrementar o consumo de gás natural no segmento automotivo, através da inserção do combustível nas frotas de transporte coletivo urbano, em substituição ao óleo diesel." A ampliação da rede de gasodutos é o primeiro de uma série de projetos que prevê a inserção mais intensa do gás natural na matriz energética brasileira. A ampliação da oferta do combustível estimulará também a sua utilização como matéria-prima para a indústria petroquímica. InvestimentosO projeto de ampliação das malhas de gasoduto no Nordeste e Sudeste pela Petrobras conta com financiamento de cerca de 40% do Japan Bank for International Cooperation - JBIC (US$ 394 milhões), mais R$ 830 milhões (aproximadamente US$ 256 milhões) do BNDES, além de US$ 250 milhões de um pool de bancos comerciais internacionais com garantia provida pela Nippon Export and Investiment Insurance (Nexi) - e de uma parcela de capital próprio de tradings japonesas. Os investimentos da Petrobras na malha Sudeste de gasodutos concentram-se na construção do sistema Campinas - Japeri (RJ), com 442 quilômetros de extensão, que terá capacidade para transportar 8,7 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural. O início da construção dessa obra está previsto para o segundo semestre deste ano, após a liberação do licenciamento ambiental pelo Ibama, e as obras devem estar concluídas em janeiro de 2005. O projeto prevê ainda a ampliação do sistema de compressão de gás da Bacia de Campos. A ampliação da Malha Nordeste prevê a implantação de sete gasodutos e ramais, com 962 quilômetros de extensão, a construção de oito "citygates" e a instalação de duas estações de compressão na Bahia, nos municípios de Candeias e Catu. Este projeto vai possibilitar o atendimento à demanda de gás de natural já contratada naquela região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.